A fera que não era tão fera

Lucas Zanella

            Todos nós, ao lembrarmo-nos das nossas antigas professoras, trazemos na memória tanto aquelas que adorávamos quanto aquelas que odiávamos. Pois bem, um fato um tanto engraçado ocorria comigo, tinha um terceiro tipo de professora, que é aquela que eu odiava adorar.


            Essa excelente professora, a qual toda a minha turma adorava, sempre que entrava na sala de aula, todos faziam silêncio e, quando digo todos, refiro-me não só aos alunos, mas também às moscas, aos alunos de outras turmas, e até mesmo aos trabalhadores da obra ao lado. Claro, isso acontecia não por medo, mas sim por respeito.


Nas aulas desta magnífica pessoa, nunca havia entendido coisa alguma sobre células, ou qualquer outra coisa semelhante. Tudo se tornou um mar de rosas quando ela foi substituída por outra, esta nova, não era má, tampouco burra, mas foi apenas com ela que eu finalmente entendi uma coisa, era uma coisa simples, porém muito significativa. Eu queria minha antiga e maravilhosa professora novamente. Percebi que as antigas aulas realmente eram ótimas, ríamos bastante e eu notei que havia entendido os seus conteúdos, não muito, mas havia.


            Enfim, agora eu sei que realmente tornamo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos.

Lucas Zanella

No blog posto geralmente textos de opinião assim como também histórias curtas. Aqui você encontrará fantasia, terror e ficção científica. Talvez até mesmo algum drama ocasional.

Comente a postagem! :)