A marca, não o produto!

Que a Apple tem como objetivo vender produtos Apple e não produtos todo mundo sempre soube. Se não me engano, tem uma frase assim no novo filme Jobs.

Me dei ao trabalho de procurar a exata fala no filme, aqui ela está:

“Você sabe por que as pessoas compram um produto Apple? Elas compram para impressionar, intimidar. Porque dá status social”. Foi o que ele disse, traduzindo de maneira livre.
Você não está interessado no produto, você não se importa se ele é bom ou se ele é ruim, você só se importa se ele foi produzido por determinada companhia. Claro, alguns são apenas fiéis a tal companhia, mas para eles não importa se os produtos são famosos ou não.Você sabe o que é um iPhone, não? Se não sabe, apenas pesquise por isso no Google. Ainda que talvez você saiba, muitos podem não saber, mas sabe como é uma boa maneira de explicar para eles sobre o que estamos falando?

 

Se você quer explicar para alguém o que é um iPhone ou um iMac (ainda utilizando o exemplo da maçã, porque é o mais conhecido), não diga algo como “é a quele celular/computador com o sistema operacional iOS/Mac OS” ou “é aquele sistema que tem um design bonito (não funcional quando aplicado ao iOS 7)”, para alguns você só precisará dizer “aquele celular/computador com a maçã mordida” ou então “o produto da Apple” e, infelizmente, muitos entenderão sobre o que você está falando apenas após essas palavras, mas sabe por que? Porque eles nunca ouviram falar em um iMac ou iPhone, eles só ouviram falar em um aparelho para gente rica que possui o desenho de uma maçã mordida representando a marca.

luxoeitdd

Dá uma olhada nessa proteção utilizada nesse celular por um instante. É um clássico exemplo de que a pessoa não liga muito para o celular, apenas para a marca. Há um buraco nessa “proteção” apenas para dizer que o smartphone é da Apple, mostrando a logo da empresa.

E mesmo que um designer fique até mesmo orgulhoso que o logotipo criado por ele seja mais importante que o próprio aparelho, isso aí já é o extremo.

A pessoa prefere deixar o aparelho mais vulnerável do que simplesmente não deixar evidente que é aquele aparelho.

Eu gostaria de falar que é justamente por isso que eu não compraria um iPhone, mas a verdade é que eu não gostaria de um justamente porque não gosto do iOS 7 e também porque aquela tela é talvez pequena demais para uma pessoa humana…

Você pode me dizer que estou totalmente errado e que comprou o seu porque gostou das características do aparelho, mas me diga uma delas. Claro, tem aquelas raras exceções de pessoas que compraram porque gostaram do sistema, da oportunidade de ter diversos aplicativos disponíveis, mas tem aqueles que compraram porque gostaram de ter essas características num produto Apple. Alguns nem mesmo comprariam um produto da empresa se ele não fosse tão famoso ou tão impressionante como é hoje em dia.

Hoje em dia.

Essa postagem pode ser aplicada para diversos outros aparelhos e coisas do tipo, mas o único em que eu consigo pensar – porque é gritante – é o caso da Apple. Steve Jobs estaria feliz em ver que conseguiu o que previu anos e anos atrás, as pessoas realmente querem o produto porque dá uma espécie de status social.

 

May God have mercy on our souls!

 

Se você não sabe usar os botões abaixo, apenas clique em um deles para compartilhar essa postagem na rede social de sua preferência, também pode deixar o seu xingamento e tentativa de defender a Apple na caixa para comentários abaixo, mas antes de xingar, lembre-se que era justamente o que Steve Jobs queria!


Lucas Zanella

No blog posto geralmente textos de opinião assim como também histórias curtas. Aqui você encontrará fantasia, terror e ficção científica. Talvez até mesmo algum drama ocasional.

Comente a postagem! :)