Considerável abstinência tecnológica

Segundo a quadragésima quinta lei de Newton, sussurrada em seu leito de morte para seu fiel escudeiro Larry, o vaga-lume mágico: “Não importa o quão multifuncional você é, não é”. E embora levou catorze anos, três macacos geneticamente modificados e um cientista sueco para decifrar o enigma deixado pelo mago da gravidade (conhecido pelos amigos mais íntimos como Isaaquinho), eu decifrei o super enigma em três dias.no_com_86bb64febd

Agora, quero que vossa senhoria (vosmecê) possua algo batucando no interior de sua mente enquanto lê esse texto: eu sou a pessoa mais pró-tecnologia que você irá conhecer. De fato, sou tão pró-tecnologia que creio que se algum professor botasse em minha frente uma cesta e exigisse meu celular, eu provavelmente arrancaria seu pescoço e o colocaria na cestinha antes de enviá-la para a diretora da escola com um cartão dizendo “meus pêsames” e “mais sorte na próxima”.

Tendo isto em mente, gostaria de dizer uma coisa: tecnologia mata. Ok, não literalmente, afinal, não estamos falando de inteligências artificiais que resolvem ficarem malvadas. Mas, nos dias passados, fiquei um bom tempo afastado do computador por vontade própria, apenas ligando meu notebook para checar meu e-mail e verificar se há episódios novos de alguns seriados (cês viram o final d’O Mentalista?!?!?). Mas em contraponto a isto, em quatro dias ou menos li mais de oitocentas páginas de Harry Potter. E, para falar a verdade, li todas as 700 páginas de A Ordem da Fênix em menos de 30 horas, tudo porque não ligava meu computador.

Claro que com isto veio o ônus: meu feed do YouTube triplicou e eu perdi muitos vídeos que agora não vejo porque “ah, mas eu ainda tenho aquele outro pra assistir…”. Ainda assim, percebo que consegui ler a coisa última que venho me recusando a ler, a coleção que comprei ano passado. Claro que ainda li O Cálice de Fogo e estou quase na metade de O Enigma do Príncipe, mas apenas o final do Cálice e o início do Enigma fazem parte desses dias em que não liguei o computador. E olhe que demorei todo um ano para ler as 1000 páginas de Sob a Redoma.

Creio que nós achamos que a internet e tudo o que ela oferece tão divertido que nos esquecemos de que há mais coisas além disso, e eu sei muito bem como isso é, afinal, faz talvez umas cinco horas que botei meu livro de lado para assistir alguma coisa no computador. E, curiosamente, a primeira vez que fiz isso após completar A Ordem da Fênix, meus olhos começaram a arder só de ver a tela reluzente do meu notebook, e olhe que eu leio sem óculos, pelo simples fato de que eles me incomodam enquanto estou deitado lendo.

 

Niuto

 

Tudo isso cai na 45ª lei do tio Isaac, você simplesmente não conseguirá fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Eu sei que não consigo ler mesmo deixando meu computador ligado, e me vem uma terrível sensação ao sentir-me tentado a desligá-lo. Não há como manter as duas coisas ao mesmo tempo, você precisa escolher entre ler e surfar na web. Mas, para ambas as nossas satisfações, tenha certeza de que está fazendo isso no momento correto e de que o livro vale a pena.

Claro que como consequência a tudo isso, acabei não escrevendo tanto quanto gostaria, mas creio que isso logo mudará pois precisarei manter minha mente ocupada para garantir-me de que não tentarei me jogar na frente de um carro que passa na rua.

Pois é, três anos estudando Cinema online para absolutamente nada (regras [180º, dos terços, do espaço…], composição, técnicas, edição, cor e fotografia, tudo vai para o lixo da mente). Mas infelizmente a vida não está aqui para nos agradar, e se ela fosse justa todos sairíamos perdendo. Apenas saiba que se você for sair da frente do computador, vá fazer algo útil. De Deus a Zeus, todos eles sabem que eu não consigo estudar como uma pessoa normal conseguiria, afinal, eu sou tudo menos normal. Não, eu leio livros que não me levarão a lugar algum e escrevo frases que jamais serão lidas ou digeridas com vontade por alguém. Então, para o seu próprio bem, faça algo de bom com sua vida, e faça isso por nós dois, óká?

 

Sem saco para revisar, câmbio e desligo.


Lucas Zanella

No blog posto geralmente textos de opinião assim como também histórias curtas. Aqui você encontrará fantasia, terror e ficção científica. Talvez até mesmo algum drama ocasional.

2 Comments

  1. Mas sabe que depende de que ”duas coisas” se está fazendo? Dependendo pode até ajudar, por exemplo se vc ñ está conseguindo se concentrar numa leitura ou em ouvir alguma coisa, se você fizer outra ao mesmo tempo, como desenhar, fazer exercícios(corporais), ou até jogar, vc pode conseguir prestar atenção, porq acalmou a área do cérebro q estava atrapalhando. Só não pode ser nada que use a mesma parte do cérebro, como escutar um texto e ler outro ou escrever. Mas vc pode escrever e ouvir musica tbm.

Comente a postagem! :)