Exploração | #DiaContrário

Atenção: Essa postagem faz parte do Dia Contrário. Todas as opiniões aqui expressas são na verdade as opostas das originais.
Se há algo que falta nessa nova sociedade nossa é justamente a exploração de outros humanos, a escravização!
Imagine um mundo onde você possui uma tarefa para fazer, porém não está muito afim de cumprí-la. Você poderia simplesmente chamar seu escravo particular e pedir para que ele faça tal tarefa em seu nome.
Quão bom seria isso? Seria excelente para as duas partes!
Agora é aquela hora em que você se pergunta como algo assim pode ser bom para um escravo. Vou dar alguns exemplos:
Você precisa concertar o seu carro que quebrou e não quer gastar dinheiro com um mecânico – que cobrará um valor muito acima do que o necessário (o que é verdade) -, ao invés de fazer o concerto por si próprio, poderia simplesmente chamar o seu querido Francisco/Joaquim (os únicos nomes que escravos têm) e falar que ele deveria concertar o carro. Além de não gastar dinheiro – pois a mão de obra não é assalariada -, o escravo aprenderá sobre mecânica, podendo então – com a sua permissão, pois ele lhe pertence, é claro – concertar carros de outras pessoas e ganhar dinheiro com isso.
Depois, você poderia escolher se ficaria com o dinheiro ganhado todo para você ou se daria uma pequena parcela para o homem – pois escravas mulheres não servem para trabalhos manuais.
Outro exemplo:
Você precisa fazer um dever de matemática, porém não sabe absolutamente nada sobre a matéria. Poderia apenas chamar o Joaquim e dizer para ele fazer o dever. Ele, além de te dar uma boa nota – pois ele seria obrigado a fazer o trabalho bem feito -, aprenderia os troço sobre mais e menos e divisão de média harmitiméticada.
Aliás, sem contar do fato de que você poderia, no final do ano, comprar um outro escravo no mercado da cidade e dar de presente para o seu amigo secreto, já que não sabe o que mais dar. Estaria fazendo um grande favor para o outro, pois ele certamente precisaria de um… ou um extra.
Outra coisa que acho incrível seria a possibilidade de explorar seus filhos para fins de escravização também. Eles poderia fazer tudo o que você faz de serviços domésticos e você não precisaria gastar dinheiro algum para comprá-lo. O seu mini-escravo poderia lavar a louça, lavar as roupas, limpar a casa, arrumar as camas, construir uma casinha de cachorro – mesmo sem que você tenha um, apenas para dar trabalho para ele!
Eu ainda ficarei imaginando um mundo em que isso vá poder ser possível, mas ele ainda está longe de chegar…
… Maldita Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e Bourbon. Se não fosse por ela…
Sobre a exploração de escravos e de filhos, há este selo:

Compartilhe nas suas redes sociais caso você seja a favor da escravização, para mostrar aos seus amigos o quão bom seria.
Caso não seja, compartilhe nas suas redes sociais essa postagem que ridiculariza a escravização e a exploração de outras pessoas.

Viram o que eu fiz? Eu agradei aos dois grupos, os contras e os a favor! 🙂

Até o próximo (que provavelmente vai demorar)!


Lucas Zanella

No blog posto geralmente textos de opinião assim como também histórias curtas. Aqui você encontrará fantasia, terror e ficção científica. Talvez até mesmo algum drama ocasional.

One Comment

Comente a postagem! :)