Socando nazistas

Claro que hoje, em pleno [ano atual], nazistas não mais existem. Bom, existem alguns grupos que podem ser considerados semelhantes, netos esquecidos e marginalizados, como nacionalistas brancos e alguns skinheads, mas o verdadeiro nazista de raiz morreu junto da suposta morte de Hitler, antes dele vir para o Brasil, obviamente. O nazismo, como toda sociedade sob qualquer comando político, teve seus altos e baixos. Aparentemente desenvolveram tecnologias e avançaram a medicina, mas também estiveram envolvidos numa ação chamada de “limpeza étnica”, que consiste na remoção de determinados grupos de uma certa localidade e é também “acompanhada de esforços para se remover evidências físicas e culturais do grupo alvo no território¹.” Embora eu não saiba dizer se ter determinada religião tem muito a ver com etnia, isso certamente foi algo muito aprovado pelos apoiadores do cara de bigode.

Os nazistas realizavam a limpeza através de prisões, para as quais, dentre outros, judeus eram mandados. Nesses locais, chamados campos de concentração, os grupos eram escravizados e submetidos a experimentos pelos quais poderiam ou não perecer. De todo modo, os sobreviventes eram mandados para campos de extermínio onde eram mortos através de câmaras de gás ou fuzilamento, então prosseguiam para serem cremados em fornos.

A História nos possibilita ver o quão cruéis eram os nazistas mesmo sem precisarmos estar por perto para presenciar tais atrocidades. Ademais, o simples sentimento humano de empatia nos permite sentir um pouco, muito pouco, da dor que pessoas submetidas a essas condições sentiam. Certamente, você diria, é uma coisa que boa que esses nazistas estejam mortos, não? É claro, é claro.

O partido que deu início ao nazismo, e também o seu tão influenciador líder, foram destruídos. Deus, você pode até mesmo dizer que atacar e destruir nazistas é uma tradição global, um modo de unificar as nações para que então todas possam enfim viver em harmonia por um ano ou dois antes da inevitável nova briga política. Então, você pergunta, por que socar um nazista é tão errado assim? Bom, talvez não pergunte ainda, pois não pus meu caso na mesa. Aqui explico sobre o efeito catártico e ações inúteis.

A catarse pode ser sentida principalmente em obras de arte (música, literatura, cinematografia, pintura). Lembro-me perfeitamente de ainda no ensino médio, ao terminar de ler um livro, fechá-lo, levantar-me da cama e andar pelo quarto enquanto repetia “ele conseguiu” para mim mesmo para expressar em voz alta o fato de certo autor me ter deixado curioso por conta de um gancho de fim de livro tão bem escrito. Hoje em dia não tenho a mesma escrita nos mesmos valores, nem mesmo terminei de ler a série de livros, mas a catarse ainda existiu.

Tomando certas liberdades com o termo, talvez seja possível aplicar a mesma palavra ao sentimento que uma torcida sente num jogo de futebol quando seu time marca um ponto. É uma avalanche de emoções na qual um indivíduo pode ser soterrado. Principalmente nesses casos, quanto maior a torcida, quanto maior a tribo, maior é a catarse, e menos individualidade se tem. Sendo assim, assumindo que você é uma pessoa de bem, ver um nazista ser socado pode ser algo muito bom, até mesmo justo.

A pessoa levando um soco no GIF acima é Richard Spencer. Eu prefiro não fazer nenhuma pesquisa extensa sobre ele para determinar se suas posições políticas se enquadram ou não com o nazismo, mas isso não importa no momento. Sendo assim, digamos que esse homem é um nazista. Tenha isso em mente. Pense nas atrocidades que o nazismo cometeu, pense em todo o mal, todas as pessoas mortas, todas as famílias tiradas à força de suas casas e postas em campos de tortura nos quais foram submetidas a horribilidades. Pense nisso e veja o GIF. É bom, não é? É bom ver um nazista levar o que merece.

Agora pense em você. Todos os seus sentimentos, todas as suas visões políticas, você tem um argumento na ponta da língua para defendê-las a qualquer momento, e de fato você tem a chance de defendê-las. Você finalmente tem a chance de ser a voz para o movimento político que ganha tão pouco reconhecimento. Há uma pessoa te entrevistando. Ela faz perguntas, você responde na sua melhor maneira, talvez esteja um pouco nervoso porque há tantos opositores na sua volta. Você consegue sentir o ódio que emana deles, eles desprezam o seu pensamento tal qual você despreza o deles. Então você leva um soco. Você não viu o agressor, não teve como se defender, ele simplesmente bateu em você. Provavelmente era um nazista. Talvez o agressor nem mesmo soubesse que um soco do tipo foi o que matou Houdini. Eles nem mesmo estariam preparados para lidar com as consequências caso você morresse, mas não importaria. Você é uma voz tão baixa no meio de uma multidão que grita. Ninguém liga para a sua morte a não ser sua família, talvez nem eles. Na verdade, sua morte é aplaudida. Seu agressor é quase um super-herói, venerado pelo partido político opositor. É ruim, não é? Horrível, de fato.

Tão horrível, aliás, que sua morte nada muda. Mesmo que continuasse vivo, nada mudaria. Deus, agora você tem um ódio especial dentro do seu coraçãozinho. Que nazistinha de bosta. Como ele se atreve? Você estava despreparado, não pôde se defender, nem mesmo olhava na direção dele. É um covarde, como todos os nazistas. Melhor ainda, há vídeo do evento. Todos usam o vídeo para zombar da sua derrota, mas você tem um uso especial. Você tem amigos com o mesmo ódio por nazistas. Você mostra o vídeo para eles, que se revoltam tanto quanto. Nesse dia o seu ódio cresceu um pouco, mas foi justificado. É CLARO QUE FOI, E SE ELES CREEM QUE NÃO ENTÃO QUE OLHEM PARA O VÍDEO!

Isso mostra como são os nazistas. São monstros, nada menos. São contra a liberdade de expressão. O que, um homem não pode mais dar sua opinião sem ser agredido? Você não estava matando ninguém, estava conversando. É típico; eles não querem ver ou ouvir posições contrárias. Malditos, logo irão censurar a mídia. Não que seja necessário, ela já está do lado deles, a mídia ri da sua desgraça. Mas se alguém, por menor que seja, talvez tenha um pouquinho de simpatia, então eles mostraram suas verdadeiras cores, então todos irão perceber. Todos perceberão que ninguém está seguro, mesmo as pessoas do movimento nazista. Se eles saírem da linha são brandados com o nome do seu movimento político, um insulto que de tanto ser repetido logo parece ser verdade. Só que o seu movimento terá uma definição tão… tão apagada do que ele originalmente foi, não tanto para que as pessoas se esqueçam do ódio que devem sentir contra ele, mas borrado o suficiente para que seja uma luva que cabe em qualquer um que se atreva a pisar na grama ao lado da estrada.

Ninguém quer ser marcado com a sua ideologia, ninguém quer ser associado com o seu tipo. Ninguém quer sair um pouco do caminho. Chegará um ponto em que, por mais maluca que pareça para outros, sua ideologia será necessária. Chegará um ponto em que só se combaterá extremo com extremo, e mesmo nazistas estarão do seu lado, pois eles já não reconhecem seu próprio movimento. Mas de que adianta? No fim é Hitler contra Hitler, mas nenhum dos dois tem testosterona o suficiente para crescer o bigode. Cada um acha que está do lado correto da história.

No fim das contas, foi só um soco, mas foi um soco porque você se desviou. Você precisou servir de lição. Foi o primeiro momento em que muitos perceberam: você foi censurado pelo seu pensamento. E nesse dia você acolheu alguns nazistas como amigos, juntos na causa do combate contra o mal-maior. No fim, o que você disse foram apenas palavras, tão livres de culpa quanto os escritos num romance. Ninguém se machucou a não ser uma pessoa. Nesse dia os bonzinhos foram os malvados, nesse dia muitos abriram os olhos. Os que te ajudaram não concordavam com você, nem um pouco, mas viram o quão errado era o que aqueles do seu próprio movimento faziam. Então o mundo acaba.

A censura de opiniões alheias – não, não importa quais sejam – é um caminho perigoso para percorrer. Sempre há a possibilidade de que a próxima opinião a ser silenciada seja a sua. Quando você ver um nazista e sentir vontade de socá-lo apenas por conta das idiotices que ele fala se pergunte uma coisa: eu estou preparado para tudo o que isso implica?

No fim do dia, mesmo nazistas são humanos. Mesmo aqueles que querem tirar os direitos dos outros tem o direito de falarem o que bem pensam. E todos nós devemos defender isso. Não seja tão rápido em aplaudir violência, afinal, talvez amanhã o nazista seja você, e acredite em mim: você também não vai ver o soco vindo.


Lucas Zanella

No blog posto geralmente textos de opinião assim como também histórias curtas. Aqui você encontrará fantasia, terror e ficção científica. Talvez até mesmo algum drama ocasional.

One Comment

  1. Caramba, que texto.
    Realmente, uma visão diferente do que vemos por ai.
    Concordo com o que vc diz “No fim do dia, mesmo nazistas são humanos. Mesmo aqueles que querem tirar os direitos dos outros tem o direito de falarem o que bem pensam. E todos nós devemos defender isso.”
    Seria uma grande evolução para nossa espécie se todos pensassem como você.
    Parabéns.

Comente a postagem! :)